segunda-feira, 21 de março de 2016

PMDB enxerga uma perspectiva de poder em Temer que Lula já não pode oferecer

O PMDB caminha para o rompimento com o PT. O vice-presidente Michel Temer assinou o ato de convocação do diretório nacional da legenda para uma reunião no próximo dia 29 de março, quando será decidido pelo colegiado sobre o rompimento do partido com o governo petista.
E tudo indica que o PMDB irá romper.
Isso porque a maioria dos peemedebistas já enxergam em Temer – principal beneficiário de um eventual impeachment de Dilma Rousseff, uma perspectiva de poder que o ex-presidente Lula já não pode oferecer.
Sintomaticamente, a cúpula peemedebista decidiu pela convocação num instante em que Lula, de volta às articulações brasilienses, falou em reinserir o PMDB no núcleo decisório do governo.
O ex-presidente, que teria um desafio duro de roer, não terá tempo de impedir o provável rompimento, porque primeiro vai ter que sobreviver às ações judiciais que questionam sua presença na Casa Civil, mesmo com o governo recorrendo ao Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir pressa na análise da decisão que barrou sua nomeação.
O certo é que, ao convidar Lula e entregar pra ele o destino de sua presidência, Dilma agiu como uma pessoa que risca o fósforo para provar que não há gasolina dentro do tanque. E justamente num cenário onde só há em cena incendiários e nenhum grupo de bombeiros.Vice-presidente Michel Temer

Nenhum comentário:

Postar um comentário